A importância de uma boa escola

Artigo incluído na edição de Julho 2017
14 de Maio, 2018,

Em época de candidaturas ao ensino superior a questão é sempre a mesma: qual é a melhor universidade?

10º

California Institute of Technology (Caltech)

  • País: EUA
  • Alunos matriculados: 2 181
  • Estudantes internacionais: 27%

Universidade de Yale

  • País: EUA
  • Alunos matriculados: 11 946
  • Estudantes internacionais: 21%

Universidade da Califórnia

  • País: EUA
  • Alunos matriculados: 34 834
  • Estudantes internacionais: 16%

Universidade de Cambridge

  • País: Reino Unido
  • Alunos matriculados: 18 605
  • Estudantes internacionais: 35%

Massachusetts Institute of Technology

  • País: EUA
  • Alunos matriculados: 11 192
  • Estudantes internacionais: 34%

Universidade de Chicago

  • País: EUA
  • Alunos matriculados: 13 486
  • Estudantes internacionais: 24%

Universidade de Princeton

  • País: EUA
  • Alunos matriculados: 7 925
  • Estudantes internacionais: 23%

Universidade de Oxford

  • País: Reino Unido
  • Alunos matriculados: 19 718
  • Estudantes internacionais: 35%

Universidade de Stanford

  • País: EUA
  • Alunos matriculados: 15 658
  • Estudantes internacionais: 22%

Universidade de Harvard

  • País: EUA
  • Alunos matriculados: 19 890
  • Estudantes internacionais: 25%

Este mês, milhares de estudantes escolhem a que universidade se vão candidatar para passarem os próximos três a cinco anos da sua vida. Mas como é que se escolhe a melhor? E que diferença pode essa opção fazer, a médio prazo, na carreira? São questões com que muitos se debatem, e não só em Portugal. A publicação inglesa Times Higher Education elaborou, pelo sétimo ano consecutivo, um ranking onde agrega as 100 melhores instituições do mundo, em parceria com a Elsevier – que faz recolha e análise de dados. Uma ajuda para quem quer escolher a melhor escola dos próximos anos. Sem muitas surpresas, a Universidade de Harvard voltou a encabeçar a lista das mais prestigiadas do mundo. Pelas suas salas já passaram 47 vencedores de prémios Nobel, 32 chefes de Estado e 28 vencedores de prémios Pulitzer. Nos EUA, é a mais antiga instituição de ensino superior – foi fundada em 1636 – e partilha o pódio deste ranking com mais duas congéneres americanas: o Massachusetts Institute of Technology (MIT) e a Universidade de Stanford. A grande mudança no top 10, face aos anos anteriores, está na entrada da Universidade de Chicago para a nona posição – ocupava a 11.ª em 2016. Nos EUA estão oito das dez melhores universidades do mundo, e um total de 42 instituições no ranking global. Não há, no entanto, nenhuma representação nacional. E apesar de a América do Norte dominar a lista, várias instituições da região foram este ano ultrapassadas por universidades asiáticas.
É o caso das universidades chinesas Tsinghua e Peking, que superaram a Universidade da Pensilvânia. A provar este cenário está também a Universidade de Tóquio (Japão), com melhor reputação que a Universidade da Columbia; e a Seoul National University (Coreia do Sul), que é agora tida como mais prestigiada que a Universidade da Califórnia. Várias universidades europeias foram também ultrapassadas por pares orientais. No entanto, o Velho Continente continua a ter lugar nas dez primeiras posições do ranking, representado por Cambridge e Oxford, ambas do Reino Unido, que ocupam os 4.º e 5.º lugares, respectivamente. Destaque para o facto de, pela primeira vez, a Universidade de Oxford ter apanhado a histórica rival Cambridge nesta lista.